Autor Tópico: BMW C Evolution Long Range (elétrica)  (Lida 774 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Iuri

  • Super Scootard
  • *****
  • Mensagens: 534
  • Sexo: Masculino
  • Modelo: BMW C Evolution LR
  • Localidade: Estoril
BMW C Evolution Long Range (elétrica)
« em: 21 Ago | 2018 | 13:05 »
Estou de volta, agora com uma BMW C-Evolution Long Range. Elétrica, portanto...  :D
Não vou desfiar as razões por que vendi a Yamaha FJR, mas direi que, sem desprimor para a mesma, resolvi revolucionar as minhas deslocações diárias. Porque não "go electric"?

Comprei-a em Junho de 2018 e já percorri cerca de 2.500km. Estou a adorar a experiência.
Em resumo, da FJR para a CEvo, perdi fortemente no conforto e na estabilidade, mas ganhei na facilidade de manuseamento e de deslocação urbana, isto sem falar da marcha-atrás que tem.
Embora tenha ponto de carga na minha garagem, por ter tomadas públicas junto a casa e do trabalho, tenho feito carregamentos gratuitos (isto porque a rede MOBI.e ainda não contratualizou os operadores). Direi que, nesta quilometragem, encaixei cerca de 200 euros que teria gasto em combustível.
Face ao elevado preço de aquisição (cerca de 15k), não se poderá falar muito em amortização do valor investido, mas tão-só do conceito.
O conceito é brutal: os arranques de binário imediato são avassaladores (equipara-se a uma 600cc mas sem lag e com potência imediata e no pico máximo). Contudo, embora seja um veículo super divertido de conduzir e usar, impõe que o condutor se foque na economia. A autonomia é de cerca de 160km, embora faça mais. Tudo depende do modo de condução, mas o modo ECOPRO combinado com o modo SAIL pode proporcionar ranges de 180km.
Para mim, considerando as minhas deslocações diárias, exige apenas cargas de 3 em 3 dias.
A carga completa demora cerca de 3h30m. O método é chegar ao trabalho deixar a carregar e desligar à hora do almoço.
Depois, sendo certo que, face ao preço de aquisição não tem grande importância, não paga IUC, as revisões são baratíssimas (mesmo para o padrão caro da BMW) e de 10k em 10k, e o custo de cada carga (se a pagasse) seria de cerca de 1 euro. Ou seja, gasta o correspondente a 1 euro de eletricidade por cada 150km percorridos.
Também "ajudou" o incentivo do Estado que, no caso da mota, equivaleu a 400 euros.

Ficam umas fotos e a promessa de mais relatos...




BMW C Evolution Long Range - 2018 - a circular
Yamaha FJR AS 1300 - 2015 - 39.800km
Yamaha Tmax 530 - 2012 - 43.000km
Gilera GP800 - 2010 - 38.000km
Vespa GTS 125 Super - 2009 - 14.000km