Autor Tópico: Majesty 400 chegou ao fim depois de 78.000 Km  (Lida 4775 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline pedro frade

  • Scootard
  • ****
  • Mensagens: 294
  • Sexo: Masculino
  • Modelo: Suzuki Burgman 650 Executive 2014
  • Localidade: Seixal
Majesty 400 chegou ao fim depois de 78.000 Km
« em: 26 Abr | 2014 | 19:56 »
Foram quatro anos de relação com esta maravilhosa maquina. :D

Desde os primeiros momentos a paixão por esta scooter  foi de amor platónico.  8%#=// Quando a vi tinha eu uma X-max 250 talvez a melhor scooter que tive para uma pessoa e circuito urbano. Quando com pendura e viagem (Santiago de Compostela) a scooter revelou os seus limites tornando-se incomoda para projetos como viagens.

Assim surgiu de um modo natural a passagem para a Majesty 400.

A Majesty 400 de 2010 apresentava-se ao publico como um modelo consolidado que conseguira resolver a maioria dos problemas da sua antecessora. Um dos problema é o excesso de vibração em baixa prestação.

Apesar de estar muito melhor que a sua antecessora a vibração aparece entre as 2500 a 3500 rtm para desaparecer quase de seguida. Esta vibração é quase impercetível em conduções mais dinâmicas. Para quem aprecia uma condução mais suave a vibração é muito presente.

Depois de muitas tentativas para resolver o problema da vibração o concessionário verificou que a correia cria pequenos socalcos na variador. Quando realizo as revisões e o variador é lixado, retificado, e as vibrações desaparecem praticamente pelo menos por mais 3.000 Km.

Um outro problemas, mais greve, foi a necessidade de trocar por três vezes vezes o rolamento da direção. Este problema cria instabilidade nas curvas, verificando-se algum incomodo nas rotundas.

Quando conduzo a Majesty a segurança, a posição de condução e a distribuição de peso mesmo com passageiro dá prazer e conforto mesmo em viagem.

Para o conforto em viagem a velocidade máxima é de 120 km. Para esta maxi scooter, Para velocidades mais elevadas só por períodos curtos como ultrapassagens. Em autoestrada e sem passageiro a condução é boa até aos 140 km.

A Majesty 400 tem o seu limite nos 160 km.  sup%% Perto deste valor a sensação de insegurança é alto; maxi scooter não tem a aerodinâmica necessária para manter a estabilidade de toda a estrutura.

A Majesty 400 è utilizada todos dias de um modo prático, útil. Demonstrou ser muito eficiente, que está à altura para a qual foi adquirido. Além da finalidade prática, o conforto e a sensação de segurança, faz de mim em condutor satisfeito.

Outro aspeto bastante positivo a Majesty 400 é nunca me ter deixado apeado. Nos quase 80.000 Km, onde se inclui uma viagem a Londres em 2011 e em 2014 na 4ª expedição MSP a Marrocos com o MSP, cada uma de cerca de 5.000 km.

Foi na 4ª expedição que a Majesty 400 revelou dificuldade em acompanhar as motas de maior potência.  KK/() O esforço é mais elevado nas scooters de menor potência. Nas ultrapassagens, entradas e saída de curvas é onde se nota a desvantagem quando se precisa da potencia do motor para se manter entre as motas de maior potência.

Esta hipotética falta de potência não se verificou na viagem a Londres, com passageiro e carga. O facto é que numa viagem longa a só, a scooter rola á velocidade de conforto determinada pelo condutor. É notório o cansaço da scooter e no condutor quando por períodos longos acompanhamos motas de maior potência.

Depois de vir da magnifica 4º expedição MSP conclui que o grupo de participantes viajavam a uma velocidade adequada e que para poder confortavelmente participar em futuros eventos com estas características, necessito de uma nova e mais potente scooter.  >:D

Dito isto,  ""9/&? falta agradecer à minha MAJESTADE  por transportado em segurança.

Fica o desafio de revelarem o que de melhor as acontece nas vossas maxi scooters. A minha escolha ainda é confusa e só posso dizer que vai ser scooter até 650. R#&??
 
Abraço ao Fórum

Pedro Frade
Mini Honda/ Yamaha Neo 50/ kinroad 125/ X-max 250/ Majesty 400 abs