Autor Tópico: Tourista  (Lida 1248 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline carlos fonseca

  • Moderador
  • *
  • Mensagens: 2274
  • Sexo: Masculino
  • Modelo: SRV 850
  • Localidade: Caparica
Tourista
« em: 06 Dez | 2015 | 21:44 »
Ocorreu-me revisitar a curta viagem de Verão de 2010 . Recordar é viver e quem sabe possa servir de sugestão para próximos anos.

Com cerca de meia dúzia de dias disponíveis o objectivo era assistir a 1 ou 2 etapas do Tour nos Pirineus numa fase já adiantada da prova, com carácter decisivo e subindo um pouco para Norte aproveitar para percorrer os belos campos da França rural e chegar as gargantas do Tarn (Gorges du Tarn) na Região da Lozere famosa por ser um dos maiores e mais espetaculares desfiladeiros na Europa , pelas estradas percorridas todos os anos por milhares de motards , pelas descidas do rio em Kayak e Rafting e pela beleza rude e impressionante de toda a região.

http://www.gorges-tarn.com/


O primeiro dia, uma sexta feira foi dedicado á travessia da Peninsula, intercalado com alguns telefonemas para resolver questões profissionais que sempre quedam pendentes. Após entrar em França a borrasca que se tinha iniciado um pouco antes intensificou-se e não houve alternativa senão procurar alojamento logo ali em Bayonne.

O dia seguinte amanheceu chuvoso e ao pequeno almoço não havia sinais de mudança.



Felizmente foi chuva de pouca duração. Pouco depois de entrar na AE direcção Este, a chuva cessou e foi com o tempo fresco e nublado que cheguei a Toulouse e entrei na Nacional rumo a norte. O tempo abriu, a paisagem rural e La douce France  dos mercados de rua e esplanadas das pequenas vilas emergia perante os meus olhos.

Os kms sucediam-se agradavelmente, Albi, Rodez, ficavam para trás.

Era a oportunidade para encarar de frente a enorme caravana do Tour que descia a toda a velocidade pelo itinerário principal de uma etapa que finalizava em Revel. Autocarros, carros de apoio, meios de comunicação.







Cheguei cedo. Na mapa tinha previsto entrar pelo Norte do desfiladeiro. Na estrada deparei-me com um desvio que me levou à magnifica paisagem do alto de quase 1000 metros e da longa descida até ao rio. Percorri-a com calma. Disfrutei a paisagem. Já em baixo percorri a contorcida estrada que bordeava o rio. Parei num dos maiores aglomerados de casas que encontrei e percorri a pé a ponte que ligava a duas margens. Que bem soube aquela meia hora a pé depois de das centenas de kms do dia.






Aprilia SRV 850
Suzuki Burgman 650 Executive
Aprilia Atlantic Sprint 500