Autor Tópico: Viagem aos Picos da Europa 21 a 25 de abril 2017  (Lida 1443 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline carlos fonseca

  • Moderador
  • *
  • Mensagens: 2274
  • Sexo: Masculino
  • Modelo: SRV 850
  • Localidade: Caparica
Viagem aos Picos da Europa 21 a 25 de abril 2017
« em: 09 Mai | 2017 | 12:29 »
De 21 a 25 de Abril decorreu a nossa ida aos Picos da Europa.

Os três elementos que compunham esta viagem, Eu o Nuno e o JP, partiram as 9 h do dia 21 da ES da encarnação rumo ao destino do 1º dia, Cangas de Onis.
Com almoço na Guarda no caçador e quando já estávamos próximo de Benavente o grupo viria a ficar reduzido a apenas dois pelo triste acontecimento do falecimento da mãe do Nuno.
La Ercina o alojamento que escolhemos para a primeira pernoita era um agradável e bem decorado Hotel rural ao estilo asturiano num local muito calmo onde de manha podíamos ouvir de perto as vaquinhas a pastar. O jantar em Cangas foi naturalmente acompanhado pela bebida local, a Sidra.

No 2º dia após visita ao santuário e Catedral ainda antes de começar a surgirem as multidões rumamos aos lagos pela belíssima estrada de montanha nos quais entre uma caminhada e outra podemos observar as magnificas paisagens de um verde vivo entrecortado com o branco da neve nos cumes. Ao almoço delicia mo nos com o cachopo asturiano na Sidreria Ramos recomendada pela simpática recepcionista do El Sueño del Indiano  o nosso hotel para os restantes 2 dias. A mesma que nos iria sugerir a visita a Potes e a caminhada pela Ruta de Cares iniciando por Cain o que se revelou uma aposta fantástica por ser precisamente a parte mais interessante do percurso. Após o almoço rumamos a Potes pelas serpenteantes estradas
Asturianas e Cantábricas. Percorremos Potes a pé demoradamente apos o que seguimos para Fuente Dé para subirmos pelo teleférico e podermos apreciar as paisagens a partir das montanhas a cerca de 1800 mst de altura . Após uma caminhada no topo voltamos e descer pelo teleférico não sem antes fazer umas piadas ao facto de a descida a pé poder ser feita em meras 4 horas, e rumamos já com o sol a enfraquecer a Riaño deliciando nos com a belíssima
Estrada de montanha. Por conselho de um motociclista espanhol integrante de um outro grupo entramos mesmo na cidade por questões de autonomia pois havia um percurso alternativo que acabamos por evitar.
De Riaño a Cangas passamos pelo belíssimo desfiladeiro de Beyos, que voltamos a repetir no dia seguinte. Jantar em Cangas iguarias locais.

No 3º dia rumamos a já falada Cain para fazermos a caminhada que por cálculos da placas no local terá sido de aprox. 7 kms em cada direção. Era domingo e tivemos companhia de vários grupos e individuais. Esta caminhada é num dos locais emblemáticos da zona e valeu todo o tempo investido. Naturalmente que após 14 kms no meio do pó e das pedra precisamos de cerca 1 hora para nos restabelecermos e voltarmos de novo pelo já citado desfiladeiro  de beyos que desta vez não percorremos na totalidade por a meio termos desviado para o parque natural de
Ponga por sugestão da já citada recepcionista no qual podemos admirar as aldeias e vilas asturianas sem adornos para turista ver.
O dia não terminaria sem avistar o Cantabrico em Ridadesella num final de tarde ventoso e fresco e na visita ao mirador del fito um dos mais espetaculares das Asturias e no qual podemos observar mais uma vista de cortar a respiração.http://www.elcomercio.es/planes/201407/08/miradores-espectaculares-asturias-20140707215811.html
Novo jantar em Cangas a espreitar o classico e a rir com as reações dos locais aos golos que entretanto iam surgindo. Depois de um dia repleto o merecido descanso.
Na véspera tínhamos decidido iniciar o rumo a casa escolhendo fazer a costa das Asturias pelas estradas nacionais e foi o que fizemos não sem antes  termos agradecido as belíssimas sugestões da recepcionista do hotel. Mais uma vez verificamos que viajar em época baixa proporciona termos a atenção e a qualidade de serviço que é quase impossível obter em épocas de maior concentração de Turismo. 

Fomos espreitar as belíssimas praias de Toranda e Torimbia , Lanes, um dos pueblos mais bonito de Espanha e almoçamos em Gijon onde podemos passear um pouco a pé pela cidade.
Ate Ribadeo continuamos nas pouco transitadas estradas nacionais onde nos continuamos a deliciar nas magnificas curvas bem asfaltadas.
Nesta ultima localidade fronteira entra as Asturias e a Galiza infletimos para o interior e passamos sucessivamente por Lugo e Ourense novamente por belas estradas ate chegarmos a Portugal entrando pela sempre magnifica Portela do Homem. Pernoitamos no Gerês onde nos deleitamos com uma magnifica posta que nos obrigou a uns mais uns passos a pé antes de nos deitarmos.
O dia seguinte amanheceu nublado e mais fresco após dias quentes e solarengos no norte de Espanha. Até um pouco de chuva apanhamos á passagem por Braga. Depois do repasto a seguir a Figueira fomos a procura da estrada Atlântica que percorremos ate a Nazaré e ainda fizemos um pouco mais de nacionais ate nos despedirmos pouco depois das Caldas e desejarmos boa viagem e agradecermos a ótima companhia proporcionada nestes 5 dias, 2500 kms de magnficas estradas, e paisagens e mais uns quantos de caminhada.

Uma palavra para o Nuno que foi dos mais entusiastas com a planificação da  viagem e que infelizmente não nos pode acompanhar na totalidade derivado do infortúnio pessoal.

As fotos seguem  dentro de momentos( JP ).
Aprilia SRV 850
Suzuki Burgman 650 Executive
Aprilia Atlantic Sprint 500